Ir para o Conteúdo Principal

Por dentro do YouTube

Como funciona a atualização de políticas do YouTube?

  • De Equipe do YouTube
  • 22.Abr.2021
Como funciona a atualização de políticas do YouTube?
Gerente de Políticas Públicas do YouTube no Brasil, Alana Rizzo explica os bastidores da formulação das regras da plataforma e o processo para identificar conteúdos considerados inadequados

A atualização das políticas de comunidade do YouTube foi assunto de destaque nos últimos dias e levantou perguntas sobre como esse processo acontece e de que forma as diretrizes são aplicadas. Pensando nisso, conversamos com a Gerente de Políticas Públicas do YouTube no Brasil, Alana Rizzo. Confira a seguir:


YouTube - Para que servem as políticas do YouTube e como elas funcionam?

Alana Rizzo - As políticas de comunidade do YouTube determinam qual tipo de conteúdo é permitido na plataforma. Essas regras são públicas - podem ser acessadas por qualquer um em nosso site - e tem o objetivo de criar um ambiente seguro para quem utiliza o YouTube. Elas tratam de temas variados, como violência, discurso de ódio, bullying virtual, direitos autorais, golpes usando o YouTube, entre outros. 


YT - O que acontece com quem não segue essas políticas?

AR - O YouTube possui um sistema de avisos para reforçar as diretrizes da comunidade. Funciona assim: na primeira vez que um canal viola nossas políticas, o criador recebe um Alerta, informando que ele precisa conhecer melhor as nossas regras. Esse sistema funciona muito bem: 98% dos criadores que recebem um Alerta não cometem novas violações. De toda forma, se o criador desrespeitar nossas regras uma segunda vez, ele recebe o primeiro Aviso (também chamado de strike, em inglês). Nesse caso, ele ficará impedido de subir conteúdo em seu canal por sete dias. Uma nova violação irá gerar o segundo Aviso, cujas restrições valem por 14 dias. Por fim, se o criador cometer outra infração, no período de noventa dias, ele receberá um Aviso final e terá seu canal removido permanentemente do YouTube. É importante destacar que, ao longo desse processo, são enviadas ao criador comunicações por email ou na área de gerenciamento do canal – que chamamos de YouTube Studio – informando a política violada e os caminhos para contestar o Aviso.


YT - Como vocês identificam os conteúdos que violam as políticas da plataforma?

AR - Contamos com uma combinação de pessoas e tecnologia para sinalizar conteúdo para nossas equipes de revisão. Nossos sistemas de machine learning nos ajudam a detectar conteúdo potencialmente violador e enviá-lo para análise humana. A tecnologia é fundamental para detectar padrões, o que nos ajuda a encontrar conteúdo semelhante - mas não exatamente o mesmo - a outro conteúdo que já removemos, mesmo antes de ser visualizado. Esses sistemas são especialmente eficazes na sinalização de conteúdo com a mesma aparência - como spam ou conteúdo adulto. 


As máquinas também podem nos ajudar a sinalizar informação incorreta sobre a COVID-19 e outros conteúdos que violam nossas políticas, contudo essas categorias dependem muito do contexto e destacam a importância da revisão humana para tomarmos decisões acertadas. Ainda assim, mais de 94% dos 9,3 milhões de vídeos removidos no último trimestre de 2020 foram sinalizados pela primeira vez por nossos sistemas automatizados, como informado em nosso Relatório Trimestral de Transparência

Vale destacar também que a comunidade de usuários do YouTube, especialistas e também os membros do nosso programa Revisor Confiável nos ajudam a identificar conteúdo problemático por meio de denúncias, que podem ser feitas ao se clicar no ícone com três pontos, no lado inferior direito de um vídeo.


YT - Na última semana, o YouTube atualizou as regras relacionadas a conteúdo que fala sobre COVID-19. Como funciona esse processo?

AR - Cada uma das nossas políticas é cuidadosamente pensada e constantemente revisada para que seja consistente, bem fundamentada e possa ser aplicada a conteúdos de todas as partes do mundo. Elas passam por várias rodadas de teste antes de serem implementadas para garantir que nossa equipe global de revisores de conteúdo possa aplicá-las de maneira precisa e consistente. Além de levar em conta os feedbacks dos criadores de conteúdo e da sociedade civil, desenvolvemos nossas regras em parceria com uma ampla gama de especialistas externos.


YT - Tratamento precoce é um tema que já vem sendo debatido há algum tempo. Por que o YouTube  fez a atualização agora?

AR - Para assuntos mais complexos, como é o caso a COVID-19, precisamos de algum tempo para atualizar ou desenvolver uma política nova. Consultamos especialistas externos e criadores para compreender como nossa política atual precisa ser melhorada, considerando as diferenças regionais para garantir que a alteração proposta seja aplicada de forma justa em todo o mundo. No caso do coronavírus, nossas diretrizes refletem as últimas orientações das autoridades de saúde globais, e esse trabalho de atualização nunca termina: estamos sempre avaliando nossas políticas para entender como podemos alcançar um maior equilíbrio entre dar voz a todos, que é a missão do YouTube, e, ao mesmo tempo, proteger a nossa comunidade.


YT - A política vale para vídeos que já estavam na plataforma?

AR - Sim, a política será aplicada a todos os vídeos na plataforma, inclusive de maneira retroativa. Vale dizer que, quando atualizamos uma regra, algumas vezes oferecemos aos criadores um "período de carência” para que possam compreendê-la e se adaptarem. Isso significa que vídeos postados antes da mudança ou até um mês depois da atualização são removidos do YouTube, mas não geram um Aviso (strike) como penalidade. Depois desse período de carência, os criadores que postarem novos vídeos em desacordo com a diretriz passam a receber sanções, por isso, precisam redobrar a atenção.