Acesse o menu principal

Cultura e Tendências

Conheça 3 professores que cresceram no YouTube em 2021

  • Por Mariana Torquato
  • Gerente de parcerias de educação e conteúdo infantil do YouTube Brasil
  • 15.Out.2021
Esses três EduTubers descobriram como usar a plataforma para alcançar mais alunos e desenvolver novas habilidades

Para celebrar o Dia do Professor, lançamos esta semana uma série de três posts sobre como o YouTube pode ser uma importante ferramenta para alunos e professores. Este é o último deles, não deixe de conferir as outras postagens!


Que o YouTube é uma ótima ferramenta de aprendizado, a gente já sabe! Mas a plataforma também pode ser um aliado de professores que querem alcançar novas audiências, explorar conteúdos diferentes e compartilhar com o mundo todo seu conhecimento. Por isso, hoje vamos apresentar três EduTubers que conseguiram crescer seus canais no último ano de maneiras totalmente diferentes. Nesse post vamos apresentar suas trajetórias no YouTube, suas estratégias de conteúdo e os aprendizados acumulados por eles nos anos de criação de conteúdo.

Bruno

Prof. Bruno Barros, do canal Tudo Sobre Geografia

Professor licenciado em Geografia, efetivo na rede estadual do Espírito Santo, e especialista em Informática na Educação. Começou seu canal no YouTube em 2015 para oferecer videoaulas de geografia para seus estudantes presenciais, como forma deles revisarem os conteúdos. Como teste, ele começou transformando um capítulo inteiro de um livro de Geografia em vídeos. Nos primeiros seis meses, não havia um compromisso e regularidade nos uploads dos vídeos e o canal teve um crescimento tímido, conquistando cerca de 500 inscritos.

Em 2018, ele foi convidado para participar da EduCon, evento do YouTube para EduTubers, e ali conheceu mais sobre outros canais, estratégias de conteúdo e se sentiu motivado a investir mais na produção para a plataforma. A partir dali, começou a criar outros formatos de vídeos e focar em conteúdos que trariam um engajamento do público, pois percebeu que em suas vídeos aulas tradicionais, os alunos normalmente iam embora após consumir o conteúdo e não voltavam mais ao canal.

O YouTube mudou a minha vida, a partir dele criei uma empresa para conversar com as marcas. Me deu autoridade em minha área tanto localmente, quanto nacionalmente.”

Bruno Barros

Assim, ele começou a buscar outros formatos que trouxessem um engajamento maior e que estimulassem seu público a se inscrever e continuar no canal. Foi assim que surgiu o quadro Minuto Geográfico, em que ele comentava sobre assuntos da disciplina em alta no momento. Apesar dos números aumentarem, ele percebeu que seu roteiro ainda precisava de melhorias e estudou mais sobre como escrever roteiros que engajem o público.

Esse foi o começo para o que ele atualmente desenvolve no canal: assuntos relacionados a Geografia que estão em alta no país, em vídeos que vão direto ao ponto, com perguntas sobre o tema, e que são respondidas durante o vídeo. Além disso, no fim do vídeo, ele deixa uma pergunta para a audiência participar e comentar.

Com essas mudanças, ele percebeu uma melhora considerável nos números e no engajamento dos seus vídeos. Ele também começou a notar que certos assuntos chamavam mais atenção, como fenômenos astronômicos (chuva de meteoros, eclipses) além de assuntos meteorológicos (formação de ciclones, frentes frias, terremotos) e investiu nesses temas.

Neste ano, com as frentes frias que passaram no Brasil em julho, dois vídeos do seu canal entraram na aba Em Alta do YouTube em uma semana, um feito histórico para um canal de educação! Como consequência, seu canal, que na época contava com 70 mil inscritos, cresceu para 100 mil inscritos naquela semana. Recentemente, ele começou a explorar vídeos sobre o vulcão Cumbre Vieja, nas Ilhas Canárias, e entrou novamente na aba Em Alta do YouTube Brasil.

O canal mantém um crescimento exponencial, e atualmente conta com mais de 122 mil inscritos. Assim o prof. Bruno mostra como EduTubers podem se aproveitar de assuntos que estão bombando para conquistar um novo público e inscritos

Prof Paulo

Prof. Paulo Pereira, do canal Equaciona Com Paulo Pereira

Mestre em Matemática pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e professor de matemática em escolas do Rio de Janeiro. Criou seu canal em 2016 inspirado por outros EduTubers que acompanhava. Primeiramente, focou seu conteúdo em temas de matemática do Ensino Médio com videoaulas explicando conceitos e exercícios matemáticos com o auxílio de um quadro branco, com base na clássica experiência de sala de aula.

Com o YouTube, minha sala de aula se tornou o mundo, e minhas lições estão ao alcance de qualquer um que esteja sedento pelo aprender. Ao transformar vidas com o ensino de matemática na plataforma, pude também transformar a mim mesmo.”

Paulo Pereira

Na época, o canal cresceu rápido e os vídeos estavam indo bem. Mas foi após participar da EduCon que ele começou a se enxergar como um empresário e o seu canal como um negócio. Com 500 mil inscritos e cerca de 2 milhões de views por mês, resolveu repensar seu conteúdo para alcançar ainda mais pessoas. Inspirado em novas influências, principalmente em canais de fora do Brasil e em análises dos dados do Creator Studio, o prof. Paulo começou a investir em vídeos mais curtos, além de criar estratégias para tornar suas thumbnails mais clicáveis, com uma expressão matemática sem resolução, por exemplo.

Além disso, ele percebeu que vídeos de matemática básica performavam melhor do que vídeos com assuntos mais complexos. E foi aí que o prof. Paulo entendeu que, apesar dele pessoalmente gostar de resolver problemas matemáticos muito mais complexos, os conteúdos mais acessados do seu canal eram os de matemática básica. Ele quebrou um paradigma pessoal de apenas criar conteúdos de matemática avançada, afinal, o professor possui mestrado em uma das maiores instituições de matemática do Brasil, e começou a focar em vídeos de matemática básica. Com isso, ele repaginou seu canal, se livrou de certos preconceitos com conteúdos mais básicos e hoje possui mais de 1 milhão de inscritos e 168 milhões de visualizações, e o vídeo mais visto do seu canal, com 10 milhões de views, é de uma expressão numérica. Sua história é uma prova da possibilidade de se reinventar dentro da plataforma e de enxergar no YouTube um negócio rentável.

Rafael

Prof. Rafael Irigoyen, do canal Pura Física

Licenciado em física, é professor em escolas de Porto Alegre/RS e ministra grupos de física para o ENEM. Criado em 2012, o canal Pura Física começou com videoaulas de física. Porém, Rafael sempre teve o desejo de trabalhar com divulgação científica, e começou a incluir vídeos semanais sobre descobertas científicas. Esse formato se intensificou em 2017 com vídeos longos e bem produzidos sobre o assunto, mas o alto custo de produção e de dedicação desse formato acabou impedindo que os vídeos continuassem.

Com o Shorts consegui realizar meu sonho de ter um canal de divulgação científica e trazer um dos momentos mais especiais da sala de aula para o YouTube: falar de buracos negros BigBang e outros tópicos que capturam a atenção: os alunos adoram!”

Rafael Irigoyen

Seguiu, então, focando nas videoaulas, um conteúdo que não performa imediatamente, chamado de cauda longa, já que será assistido quando a pessoa estiver estudando sobre certo assunto, diferentemente de um conteúdo de entretenimento, que, em geral, é assistido a qualquer momento. Apesar de continuar com as videoaulas, o prof. Rafael ainda não havia esquecido da vontade de criar conteúdo sobre ciência e divulgação científica. Em dezembro de 2020, quando o YouTube Shorts estava disponível nos Estados Unidos, ele percebeu a enorme entrega dos vídeos curtos na plataforma. Assim, em janeiro deste ano, ele começou a postar uma vez por semana vídeos curtos no seu canal abordando assuntos de ciência. Em meados de julho, quando o YouTube Shorts foi lançado no Brasil, ele viu um aumento nos inscritos - o seu canal, que costumava ganhar de 2 mil a 3 mil inscritos por mês, começou a ter uma média de 7 a 8 mil inscritos por mês. Quando ele foi analisar, percebeu que um dos vídeos curtos que ele postou em janeiro viralizou e estava com mais de 2 milhões de visualizações! Foi aí que ele viu a oportunidade de realizar seu desejo de falar sobre ciência em um conteúdo que não fosse tão custoso e começou a investir em vídeos curtos.

Com isso, chegou ao patamar de 17 milhões de views e 74 mil novos inscritos no mês só postando Shorts. Desde que começou a investir na ferramenta, seu canal passou de 160 mil para 350 mil inscritos. Esse investimento não trouxe apenas aumento nos números do canal, mas também uma mudança na audiência, que anteriormente estava interessada nas videoaulas de física, e que agora curte os vídeos de divulgação científica e curiosidades da ciência. A trajetória do professor Rafael mostra as possibilidades que os canais de educação têm ao adotar formatos curtos para conquistar novas audiências e experimentar formatos que unem educação e entretenimento.